22
mar 14

Ramon Rodrigues

Xilogravura de Ramon Rodrigues, 76 x 53 cm. 2014

 

Ramon Rodrigues é um artista de Florianópolis que trabalha com gravuras em madeira. Sua formação se deu em Buenos Aires e sua cidade natal, e passa pelo desenho e pela pintura, chegando, finalmente, à xilogravura. A técnica é um clássico na história da arte, usada por artistas como M. C. Escher, Pablo Picasso, e tantos outros. Nas mãos de Ramon, a goiva (o instrumento utilizado para entalhar a madeira) adquire leveza e detalhes impressionantes.

Atento a todos os detalhes do processo de criação de suas obras, Ramon Rodrigues contrapõe a dureza da prensa com a sutileza de seus traços. Suas gravuras surgem de um imaginário povoado pelas histórias de Edgar Allan Poe e José Posada. Gatos, caveiras, hipnoses e damas misteriosas sobre fundo negro se misturam a penas, chaves, cultura mexicana e outros animais. As texturas e a riqueza de detalhes com certeza encherão seus olhos e suas paredes.


22
mar 14

Glossário: Original ou Gravura?

Matriz serigráfica em filme de recorte (recortada à mão com estilete pelo artista) e impressões serigráficas. De Oscar Fortunato.

 

Não importa de que assunto estejamos falando, um vocabulário particular sempre vai estar presente. No mundo da arte isso é particularmente importante, pois a denominação representa o meio, a técnica, os pigmentos etc. E isso influencia no valor, na durabilidade, no tipo de moldura e até na maneira de guardar as obras.

Vamos falar de uma técnica que, na verdade, são muitas. A gravura é composta de dois momentos: a criação da matriz e a impressão. A matriz pode ser de materiais variados (pedra, metal, madeira, tela serigráfica etc.) e é a base utilizada para se imprimir.

Muitos artistas utilizam-se da gravura como meio de reprodução de um desenho prévio ou como a própria técnica criadora. Esse último é o caso das litogravuras, xilogravuras e gravuras em metal, em que se cria ranhuras na superfície da pedras, madeira ou folhas de metal respectivamente. Essa matriz é então colocada em uma prensa, onde replicará o desenho. A série resultante deve ser numerada e assinada posteriormente. O seu valor vai depender da tiragem da série, seu número de produção (as primeiras têm maior valor), o material (tipo de papel) e o gabarito do artista.

Originais são, obviamente, mais caros. Como o próprio nome diz, não têm pares. Já as gravuras têm preços mais acessíveis, fomentando o mercado da arte.