16
jan 15

Comprando uma obra de Arte

 

Arte é um excelente investimento. Mas algumas questões devem ser levadas em conta:

1. é uma obra original ou uma gravura? Originais são obras únicas. Gravuras são múltiplos feitos a partir de uma matriz. Originais, por serem únicos, valem mais do que gravuras.

2. Se for gravura, qual é a técnica? Qual a tiragem? São muitas as técnicas e é sempre bom conhecer mais sobre elas. Já sobre a tiragem (aqueles números que vêm escritos na parte inferior de uma gravura), as de tiragem mais baixa são as mais valorizadas. O mesmo vale para as provas (PA – prova do artista, PI – prova de impressão, PU – prova única, são as mais utilizadas) .

3. Quem fez? Foi o próprio artista? Mesmo em se tratando de originais, há alguns artistas que “pegam” pouco em “suas” obras, colocando seus assistentes para fazerem tudo ou quase. Fora as falsificações. 
Em se tratando de gravuras, há enorme diferença entre os mestres gravadores, que passam anos para aprenderem e se aprimorarem numa técnica e aqueles que terceirizam o seu trabalho.

4. Quais foram os materiais utilizados? Papéis de algodão, especiais, fineart, com ph neutro garantem maior qualidade (resultado final) e duração. O mesmo sobre as tintas (marcas e tipos, sendo óleo a mais tóxica e também a mais valorizada pelo seu efeito final e ao longo dos anos) .

5. Qual a procedência da obra?
Cuidado para não comprar gato por lebre. Obras de artistas vivos são mais fáceis de checar a procedência. Mas muito cuidado porque falsificações são bem comuns no mercado.