May, 2011


30
May 11

Me and the Devil

R.I.P. Gil Scott-Heron

Your Soul and Mine

Standing in the ruins
Of another Black man’s life,
or flying through the valley
separating day and night.
“I am death,” cried the Vulture,
“For the people of the light.”

Charon brought his raft
from the sea that sails on souls,
And saw the scavenger departing,
taking warm hearts to the cold.
He knew the ghetto was the haven
for the meanest creature ever known.

In a wilderness of heartbreak
and a desert of despair,
Evil’s carrion of justice
shrieks a cry of naked terror.
He’s taking babies from their momas
and leaving grief beyond compare.

So if you see the Vulture coming,
flying circles in your mind,
Remember there is no escaping
for he will follow close behind.
Only promised me a battle,
battle for your soul and mine.

Share

25
May 11

PROJETO 4 X 4 – CARLOS REZENDE

 

Leilões no Mercado Livre, na categoria ARREMATE iniciando com R$ 1,00

Obra de Arte – http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-185749962-carlos-rezende-leilo-plus-diario-da-manh-_JM

Jornal Obra de Arte – http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-185751377-pagina-jornal-dm-carlos-rezende-plus-galeria-_JM

 

Por PX Silveira

Existirá vida antes da morte?

A pergunta não é nem um pouco exagerada. Talvez esta seja a maior questão filosófica e artística dos dias de hoje. As estatísticas, os índices, os fatos e os instrumentos mais avançados poderão, enfim, nos responder: há vida antes da morte?
Olhe para você, olhe a seu redor. Acaso chama isto de vida? Não seria apenas sobrevivência? E como se não bastasse o (sobre)vivente ter que ir trocando paulatinamente os seus sonhos pelo seu modo de ‘ser’ em sociedade, esta lhe suga até os ossos e oferece-lhe por único consolo o fato de que suga a todos os outros, também.

Também não basta ter que vender o almoço para comprar o jantar, tem que se calar e compactuar com a mediocridade para não ser exilado do bom senso reinante. E para distração, compra-se de tudo em prestações que o fazem fiador do presente para seguir tendo a esperança de um futuro que não chega jamais.

Mas os (sobre)viventes não querem saber destes assuntos que lhes afetam e para os quais não têm respostas. Aceitam como sumo princípio o precipício e o afastamento das coisas realmente importantes do universo, que são coisas pequenas que não dão manchete de jornal. Ou ao menos em outros jornais, diga-se.

Continue reading →

Share

25
May 11

Projeto 4 x 4 – RUSTOFF

 

Galeria de Papel, 4 x 4, Por PX Silveira

Os moldes da verdade

Essas coisas só me acontecem muito de vez em quando. Atendo o telefone que toca em hora um tanto inadequada. É o telefone de casa. Ninguém tem este número, ora, nem minha mãe. Ou quase ninguém.

E mais uma vez a realidade supera minha imaginação. Do outro lado da linha, o Gilvane Felipe, atual duas vezes presidente, isto é, presidente do Partido Popular Socialista (PPS) e da Agência Goiana Pedro Ludovico Teixeira (Agepel).

Gilvane (qual dos presidentes estaria falando?) foi direto ao assunto. Queria saber quando eu publicaria a página da Galeria de Papel com o Projeto 4×4 trazendo o artista Diogo Rustoff, do qual ele teria algumas coisas para falar.

 

Continue reading →

Share

21
May 11

PROJETO 4 X 4 – OSCAR FORTUNATO

 

 

Por PX Silveira

Orquestra Filarmônica de Mozarlândia

As realizações do homem brasileiro neste século 21 vêm paulatinamente comprovando que Dom Bosco estava correto quando sonhara com o alvorecer de uma nova civilização no Planato Central do Brasil, apenas ressalvando a veracidade de sua profecia por uma mera questão de foco. Afinal, viria ela de Brasília ou de Mozarlândia?

Foi em Mozarlândia que o poeta perdera sua lira, que agora serve à sua Orquestra. E sabe-se, finalmente, que os pássaros que gorjeavam em Passárgada foram parar nesta bucólica cidade, também aderindo à sua Orquestra.

Os mais argutos podem ver que a solista deste tão distinto e seleto agrupamento filarmônico realça-se não somente pelo virtuosismo que lhe parece inato, mas também pelo seu tipo esguio de 1,89 de altura, ancorado pelo trajar das botas que o apóstolo Judas por lá perdera.

Convenhamos que uma filarmônica é, ao menos pelos parâmetros ocidentais, a expressão mais bem acabada do estágio cultural a que um povo pode chegar. Tê-las é condição necessária para uma cultura de primeira grandeza, muito embora os gestores públicos de cultura de Goiás sequer reconheçam uma nota menor que a de cem.

A Orquestra Filarmônica de Mozarlândia (que acaba de esgotar sua última gravação mesmo antes de chegar às prateleiras), por tanto e merecidamente, é a trilha sonora e o melhor acalanto para o sonho bosquiniano. O mundo não perde por esperar.

Continue reading →

Share

10
May 11

PROJETO 4 X 4 – LUPE

 

Galeria de Papel, por PX Silveira

Eis que inauguramos hoje uma sequência de 4 semanas (4 quartas feiras), tendo como convidados 4 artistas que criam uma obra especialmente para a ocasião. Mostraremos etapas dos seus processos de criação por meio de 4 registros fotográficos, desde o ato inaugural da criação plástica até sua finalização, quando então o artista se deixa fotografar ao lado da obra.

Este é o Projeto 4×4. Acompanharemos o mundo invisível da criação e do pensamento se abrindo passo a passo para o mundo visível das formas e das cores.

Para concretizá-lo, formamos uma equipe imprescindível a cada etapa, cujos nomes se vê abaixo, ilustrando toda a cadeia produtiva desta ação. A artista de hoje é a Lupe, olá, muito prazer.

 

Continue reading →

Share

10
May 11

Expo Rustoff

 

ALL RESISTANCE AIN’T FUTILE
Por Tarik Hermano

Live free or die trying. O lema que inspirou e ainda inspira utopias é uma constante vendo a obra de Rustoff. Sua grande hablidade com o stencil, sua identificação com a expressão da rua, são marcantes, criando, assim, uma obra cheia de energia e com uma forte alusão a utopias, ícones de culturas urbanas cheias de beleza eu ma certa agressividade. Ambos muito bem captados em suas telas. Essa exposição põe em confronto o requinte estético de suas obras com o diálogo duro das ruas, vindo da técnica, dos temas e da história de Rustoff. O resultado desse confronto é um tênue equilíbrio no qual, no entanto, o artista se mostra confortável, se movimentando com liberdade e requinte.

 

Exposição dos artistas  DIOGO RUSTOFF (Plus Galeria), MOISÉS CRIVELARO E SANTHIAGO SELON

Vernissage: 10/05/2011
Horário: 20h00
Onde: Museu de Arte de Goiânia – Rua 1 nº 605, Bosque dos Buritis – Setor Oeste. Goiânia – Goiás – SALA REINALDO BARBALHO

Museu de Arte de Goiânia
(+55) (62) 3524 1189
Rua 1 nº 605, Bosque dos Buritis – Setor Oeste. Goiânia – Goiás – Brasil Cep.: 74115-040
museugoiania.blogspot.com
www.facebook.com/museugoiania
www.twitter.com/museugoiania

Share

2
May 11

1 ANO DE PLUS GALERIA

Share