ERÓTICA e PORNOGRAFIA

por Guido Cavalcante

Uma grande parte do trabalho de grandes artistas visuais – Rubens, Ingres, Delacroix, Degas, Lautrec, Rodin, Gauguin, Matisse, Magritte, Klimt, Picasso, Modigliani – é, sem dúvida, erótica. Mas o que é, precisamente para a arte, ser erótica? É claro que, no mínimo, a obra deve ter conteúdo sexual, na forma de representações de seres nus ou semidespidos, sozinhos ou acompanhados, em repouso ou realizando ações de natureza sexual. No entanto, para a arte ser contabilizada como erótica, é preciso fazer mais do que representar o corpo humano nu ou fazer referência a assuntos sexuais. Por outro lado, esboços anatômicos dos órgãos genitais, um estudo realista da sala do ginecologista, ou uma história em quadrinhos com bilaus pneumáticos, não são eróticos, apesar do conteúdo sexual que incluem. Arte erótica é uma arte que visa despertar o interesse sexual, ao evocar pensamentos, sentimentos ou desejos sexuais nos espectadores, em virtude do que ela representa e do sucesso em fazê-lo. A intenção de despertar o interesse sexual e a recompensa por aquilo que é mostrado pode ser tomado como o principal critério da arte erótica.

Nós começamos a inferir daí a tênue distinção entre o que é arte erótica e o que é pornografia. Elas se distinguem, sem dúvida, em pelo menos dois aspectos: em primeiro lugar, a pornografia tem, por definição, um aspecto não-artístico claro e significativo. Ou seja, a pornografia não faz apelo aos espectadores para considerar o modo e os meios de representação da imagem. Ninguém olha pornografia para ver arte! Em segundo lugar, a pornografia tem como objetivo central um resultado típico, imediato, de prazer e curiosidade, promovendo alguma forma de degradação, ou de  dominação e até de despersonalização do que ela representa, geralmente a mulher, alienando, portanto, nossa atenção das identidades individuais únicamente para aquilo que “está sendo feito” por outros, e que passamos a considerar como nossa exclusiva satisfação. A pornografia é seletiva. Suas imagens devem vir ao encontro daquilo que “preferimos” no sexo, ou seja, ela tem uma finalidade clara, definida e inequívoca: para mulheres masculinizadas; para homens afeminados; para transsexuais ou para adeptos do sexo violento…
A pornografia é utilitarista e é como ela se distingue definitivamente da arte erótica.

Todas as imagens a seguir são exclusivamente pornográficas e demonstram a “especialização” das preferências.

Share

Deixar um comentário