PESSOAS SOLTAS

Pessoas Soltas, por Oscar Fortunato
Texto Guga Valente

Toda vez que eu vou ao Karatê, arte marcial que me ajuda a liberar meus monstros e me obriga a tentar ser melhor, vejo uma pessoa solta na rua, exposta, lambida nalgum canteiro. “Pessoas soltas” é uma agressão. Porque todos os dias faço os mesmos caminhos, pelas mesmas ruas, vejo as mesmas buzinas e ouço as mesmas cores prateadas de carros [agora são brancos, agora são brancos]. Uma pessoa solta é uma pessoa alheia à constituição da cidade como ela vem sendo constituída. Constrói como quer; interfere; inflige; provoca; instiga; ri. “Pessoas soltas” me lembram pessoas livres, pessoas desinteressadas, pessoas independentes, pessoas felizes, pessoas desobrigadas, pessoas pouco-se-fodendo, pessoas pessoas. Fico me perguntando: o que me prende? O que me limita? O que me tapa a visão periférica? Como vencer essas teias invisíveis que seguram meu corpo e não me deixam seguir? Pessoa solta. Quero ser uma pessoa solta, quero ser uma pessoa solta.

Quero pouco-me-foder.

 

 

Share

1 comentário

  1. Adorei sua opinião,e apesar de não saber seu nome,rs gostei do que escreveu realmente.Ótimo texto! :) Pessoas Soltas,justíssimo termo ;)

Deixar um comentário