29
set 12

Happening PESSOAS SOLTAS

Estampas para a Serigrafada.

Como funciona: cada um leva as suas camisetas, camisas, enfim: roupas de algodão, e o artista silkará na hora qualquer uma destas Artes dele. Cada impressão custa R$ 20,00 (vinte reais).

Revista do Correio, Correio Braziliense, 21 de outubro de 2012.
Por Zuleika de Souza.


27
set 12

Workshop Plus de Xilo

 

Workshop de xilogravura com Samuel Casal e Ramon Rodrigues que aconteceu na Plus, nos dias 15 e 16 de setembro de 2012. Mais infos aqui:  http://plusgaleria.com.br/blog/?p=2438


21
set 12

BRUTOS DA TERRA

 

Texto, Arte e Foto de Oscar Fortunato

“Eu sou o enviesado. Sou aquele que queimaria a casinha da ponte. Sou aquele que provou e não gostou. Não me agradam essas parlendas sobre esse rio sem graça ou essas cidades tolas e cheias de incompreensível soberba. Entupidas de turistas e fantasmas de velhos escravos que ergueram esses vilarejos com sangue e dor.
No campo tem curriola, mas eu tenho mais medo das curriolas de cá. Eu sou o difícil de agradar, aquele que não come qualquer pamonha. Aquele que não gosta de dançar, pois não vê razão para isso. Eu sou o punk da periferia, do Jardim Europa, da quadra 114. Eu sou aquele que enfiou o dedo no roscófe do periquito que estava roendo o coco da guariroba. Eu sou o bruto da terra!”


13
set 12

CASABERTA

É com imenso prazer que trazemos para Goiânia dois GRANDES xilogravadores brasileiros, ambos radicados em Florianópolis: Ramon Rodrigues e Samuel Casal, para uma tarde de bate-papo e comercialização de xilogravuras a partir de R$ 50,00 (as menores).

Xilogravura é a arte de gravar em madeira. Entalha-se na madeira, com ajuda de instrumento cortante (goivas), a figura ou forma (matriz) que se pretende imprimir. Em seguida, usa-se um rolo de borracha embebido em tinta, tocando apenas as partes elevadas do entalhe. Depois, prensa e o resultado do processo é o que você vê ai. INCRÍVEL, não é mesmo? Portanto, não perca esta oportunidade:

15 de setembro de 2012, próximo sábado, das 16h às 21h.
Plus Galeria. Rua 114, 70. Setor Sul.
62 3278.2582 / 8428.3867

 

Em ocasião, os dois artistas ministrarão um workshop de xilogravura para uma turma já fechada.
Infos aqui : http://plusgaleria.com.br/blog/?p=2438

 

 


09
set 12

13 pompons em Goiânia

Arte e fotos de Leticia Matos

Teatro Goiânia. Centro.

Continuar Lendo →


06
set 12

WORKSHOP de XILO

Xilogravura é a técnica de gravura na qual se utiliza madeira como matriz e possibilita a reprodução da imagem gravada sobre papel ou outro suporte adequado.

E traremos para Goiânia, dias 15 e 16 de setembro de 2012, dois dos melhores xilogravadores (experientes e muito jovens) do País: Samuel Casal e Ramon Rodrigues, ambos residentes em Florianópolis.

Samuel Casal em ação

 

Programação do Workshop

* Apresentação e utilização das ferramentas;

* Esboço;

* Preparação da placa;

* Gravação;

* Apresentação das ferramentas de impressão;

* Impressão (de diferentes maneiras)

Continuar Lendo →


04
set 12

Arte Urbana, no Vaca Amarela

A gaúcha radicada em SP, Leticia Matos, e seus 13 pompons

 

Na sexta feira, 7 de setembro de 2012, a partir das 13h, o projeto tricôtarde estará em Goiânia! A artista Letícia Matos vai realizar oficina de tricô, durante o 11º Vaca Amarela. A proposta é que cada participante confeccione pompons feitos de tricô e use-os para interferir no espaço da cidade. Letícia já se prepara para a 100ª intervenção desse tipo em São Paulo

http://13pompons.tumblr.com/

Local: Centro Cultural UFG (Praça Universitária)
Data: 07 de Setembro
Hora: Apartir das 13:00
Material: Agulha de tricô, lã (cores diversas a escolha do participante)
Inscrição: Basta comprar as agulhas de tricô, a lã e enviar e-mail com Nome, Telefone e RG. AINDA É GRÁTIS! (enviar para: oficinas.vacaamarela@gmail.com)

 

A artista também fará suas intervenções (13 pompons) NAS RUAS de Goiânia. 

 

 

Grafiteiro paulistano SHOCK


Elton Luis, conhecido como SHOCK é escritor de graffiti há 11 anos e artista plástico formado em 2005 pela Escola Paulista de Artes, a Pós-graduação em arte, comunicação e tecnologia na faculdade de Belas Artes de São Paulo em 200.
Artista versátil no domínio e finalização em várias técnicas, Shock optou pelo caminho da Street Art para se expressar. Um mundo lúdico onde tudo é possível. Cores, linhas, o geométrico, o orgânico, a exaltação, a loucura e a frieza da sanidade são as marcas desse artista que, antes de mais nada, ama a cidade que pinta e interfere.

Shock virá a Goiânia grafitar alguns muros da Capital (particulares). Ele está visitando todas as capitais do País, a fim de realizar um documentário sobre o seu trabalho.
Ele chega em Goiânia dia 4 e fica até dia 9 de setembro, 2012.


15
ago 12

DAS RUAS

 

 

DAS RUAS. No Festival Vaca Amarela
As ruas de Goiânia, que outrora dividiam sua arquitetura Art Déco com o expressivo verde das toscas mangubas de troncos ocos, nos dias atuais recortam parte de seu cenário com a arte subversiva, composta por uma trinca de cabras que fazem as pessoas entortarem as mentes com suas ações. Ao perambular pelas vias da cidade, você pode se deparar com um finése adesivo de “Cora Coralina Is Dead” e perceber que o sarcasmo daquele escrito vai além, e que a lapada com vara de amora nos bons costumes e na preservação do provincianismo goiano é evidente. O delicioso lambe “Eu Sou O Marginal Botafogo”, escrito com letras de grapixo, faz você pensar que está à margem de várias situações que acontecem na cidade, mas que os verdadeiros marginais são aqueles infames viciados “filhos do césio”, esquecidos, que fazem das pontes da alameda seus nobres abrigos. E o que dizer daqueles raparigos sem classe e das donzelas sebosas que se enraizaram ao longo da Avenida Goiás? Talvez nem saibam, mas são eles uma das inúmeras representatividades que o instigante “Pessoas Soltas” causa em quem se depara com a mensagem. Pra quem enfrenta o caótico trânsito goianiense, quando se depara com uma Bastet imponente numa similar placa de trânsito pregada num ponto de ônibus tosco e mal conservado, questiona desde a imagem provocante da deusa até a real intenção do autor para aquele feito. O Buda, também simbolizando uma placa sinalizadora, pode passar a mensagem de calma, numa rotina de veículos cada vez mais violenta, ou também a clara ideia de que acredita-se naquilo que é visto, seguir as orientações é um mero detalhe. Na correria safada diária, ao se deparar com um jovem torcedor do ilustre Goiânia Esporte Clube, trajado com o uniforme do mesmo, de capacete majestoso e cores fortes, a sensação de nostalgia e admiração é imediata, lágrimas podem escorrer pela face sem cerimônia. Expressões destacadas de velhotes em armários telefônicos localizados em calçadas de esquinas do centro e moiçolas de feições joviais em paredes imundas, cortam o seu deprimente hábito de ir e vir, fazendo das intervenções uma bela democratização da arte.

Os autores dessas belezuras citadas, do it yourself de servente competente, são os diplomatas Oscar Fortunato, Marcelo Peralta e Diogo Rustoff, que compõe o belo time de quermesse da exposição DAS RUAS, que faz parte da programação do Festival Vaca Amarela 2012, o qual chega neste ano em sua 11ª edição. A exposição parte de fora para dentro, ocupando a Fábrica Cultura Coletiva, trazendo a expressão das ruas para as paredes de concreto. E você que já teve algum tipo de contato com essas intervenções, essa é uma ótima oportunidade de conhecer todo o círculo de criação e confecção, que se expande no processo de toda essa cabarezagem, bater um bom lero com os cabras e conhecer mais trabalhos desses artistas que mudaram a minha e a sua forma de pensar nos dias quentes desta linda cidade. DAS RUAS, a ocupação dos desabrigados em prol da construção da cultura subversiva goiana.

Genor (Blog Licor de Chorume)

Expo: Das Ruas
Artistas: Oscar Fortunato, Diogo Rustoff e Marcelo Peralta ( PlusGaleria.com )
Local: Fábrica de Cultura Coletiva (dentro da programação do 11 Festival Vaca Amarela)
Discotecagem: Johnny Suxxx
Abertura: 21 de agosto de 2012, às 20h

 

 

Fotos: vernissage 21 de agosto (20h), serigrafada na porta da Fábrica de Cultura dia 28 de agosto (15h). Esta expo ficou em cartaz até dia 9 de setembro de 2012.


19
jul 12

11º Festival Vaca Amarela

Vacas Amarelas de Cabo Verde


Texto e Arte por Oscar Fortunato

 

Quando os índios, cansados dos banquetes de carnes de macacos, cobras, jacarés e portugueses, avistaram aqueles “montes de carne”, mal conseguiram dormir direito. Chegavam de Cabo Verde os primeiros ruminantes que, em pouco tempo, tomariam conta da paisagem.

Mas a fila dos fast-food anda, literalmente cronometrada e dependente das descendentes daquelas caboverdianas que fascinaram nossos silvícolas, na aurora desta tosca República. E as vacas foram se multiplicando, obedecendo com rigor o preceito biblíco, a ponto de existirem mais delas do que nós, nessa terra varonil; embora a maioria delas terminará em uma mesa perto de você.

Caluniadas e difamadas, essas senhoras cornudas, cansadas de seus trágicos finais, invadiram nosso mundo lúdico com suas caras simpáticas e orelhas imensas. Existem ainda aqueles que se divertem com seus sofrimentos, mas como diria meu amigo maestro “você pode tirar o homem de Mozarlândia, mas não pode tirar Mozarlândia do homem”. Como vegetariano, tenho as vacas da mesma maneira que um elefante, pois não vejo neles o pão que sacia a minha fome. E sempre tive carinho com elas. Sempre as achei simpáticas, sejam pretas, brancas, azuis ou até mesmo a saltadora pasoliniana que dá nome a este festival.

Em todo o meu trabalho, tenho o dito do maestro como guia. Não quero fugir da minha Mozarlândia. Pode ser que meus buritis tenham poucos sabiás e que as aves nem gorjeiem como as de lá, mas entendo seus cantos e suas lamúrias e eles fazem sentido ao coração, pois o que vai pela cabeça nem sempre o faz. Nessa lógica, me apropriei das máscaras de chifres ornados que colorem as Cavalhadas, evento de origem pagã que incrivelmente resistiu ao tempo nesse lugar em que as ruínas são mais velozes. Juntei um pouco de rock e arte de rua para chegar na imagem que, na minha concepção iconográfica, somasse todo o meu discurso. E acredito ter alcançado o meu intento. Repetindo mais uma vez meu amigo regente “Fugir de Mozarlândia é besteira…”

 

 

Mais sobre o Festival Vaca Amarela

http://www.facebook.com/festivalvacaamarela
http://twitter.com/FestVacaAmarela
http://fosforocultural.com.br/vaca/ 


14
jul 12

Conheça mais sobre Samuel Casal

Gravadores brasileiros. Experientes e novíssimos. No Starte, da Globo News.

http://globotv.globo.com/globo-news/starte/t/todos-os-videos/v/samuel-casal-mostra-a-importancia-da-gravura-nas-artes-plasticas/2035146/